Boitatá (D&D 5ª ed) - Bestiário Tropical pag. 004

Atualizado: 9 de jul. de 2021

Uma cobra gigantesca, de mais de 10 metros, com o corpo, quase transparente, imerso em chamas azuis ou amarelas. Pequenos olhos aparecem em lugares aleatórios de seu corpo. Suas chamas não queimam a floresta e conseguem queimar até embaixo d'água.


Segundo a lenda, o primeiro Boitatá foi uma cobra que, durante um período de chuvas e escuridão, passou a devorar somente os olhos das presas que capturava e viciou-se nisso, até que se transformou em um ser de pura luz, assim como a luz dos olhos que comia, e, por fim, em fogo. Quando morreu, sua essência  acabou condenada a proteger rios, pântanos e os campos e matas próximas desses cursos d'água.


Boitatás não são criaturas inteligentes, mas não são violentas, exceto quando seu espaço é invadido. Passam a maior parte do tempo disfarçados como um tronco na água. Quando encontram possíveis inimigos, irão perseguir até devorar os olhos de cada um deles.


Por algum motivo desconhecido, o fogo de um boitatá, não causa danos à vegetação, então ele o usará sem piedade, mesmo que isso acabe ferindo animas, mas tentará cegar seus inimigos, antes de qualquer outra coisa.


Aventureiros que conheçam bem esse monstro sabem que o boitatá não ataca um grupo, desde que todos os integrantes fiquem totalmente em silêncio, de olhos fechados e prendendo a respiração até que ele vá embora. Se apenas um dos membros do grupo não o fizer, o boitatá atacará a todos.


Boitatá

Elemental enorme, neutro

 

Classe de Armadura: 15 (armadura natural)

Pontos de vida: 122 (13d12 +39)

Deslocamento: 12 metros, natação 12 metros

 

FOR DES CON INT SAB CAR

14 (+2) 19 (+4) 16 (+3) 3 (-4) 10 (0) 3 (-4)

 

Salvaguardas: Des +6, Con +5.

Perícias: Furtividade +5, Percepção +3

Resistências a dano: Contundente, Cortante e Perfurante de armas não-magicas que não sejam de ferro.

Imunidade a dano: Ígneo.

Imunidade a condições: Agarrado, Cego, Contido, Envenenado, Exausto, Paralisado, Petrificado

Sentidos: Percepção às cegas 9 m, visão no escuro 45 m, percepção passiva 13

Desafio: 6 (2.300 XP)

 

Forma de Fogo. O boitatá pode se mover através de um espaço de até 2,5 centímetros de espessura sem se espremer. Uma criatura que toque o elemental ou o atinja com um ataque corpo a corpo a até 1,5 metro dele sofre 5 (1d10) de dano de fogo. Além disso, o elemental pode entrar no espaço de uma criatura hostil e ficar parado nele. Da primeira vez que ele entra no espaço de uma criatura em um turno, a criatura sofre 5 (1d10) de dano de fogo e pega fogo. Até que alguém use uma ação para extinguir o fogo, a criatura sofre 5 (1d10) de dano de fogo no início de cada um dos turnos dela.


Iluminação. O elemental emite luz plena num raio de 9 metros e penumbra a 9 metros adicionais.


Intangibilidade Natural. Para o boitatá, movimentar-se através de terreno difícil, não-mágico, não custa nenhum movimento adicional. O boitatá também é capaz de mover-se por vegetação não mágica sem ser atrasado e sem receber dano, ainda que ela possua espinhos, espículas ou perigos semelhantes.


Entroncar. Com uma ação o boitatá muda sua aparência para se disfarçar, enquanto ele se manter imóvel e não fazer qualquer ação hostil, é impossível distinguir ele de um tronco de madeira mundano por métodos naturais e perde as características Forma de Fogo e Iluminação.

 

Ações:


Ataques Múltiplos. O Boitatá faz dois ataques com a sua mordida.


Mordida. Arma de Combate Corpo a Corpo: +7 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 18 (3d8 + 5) pontos de dano ígneo. Se o alvo for uma criatura ou um objeto inflamável, ele se incendeia. Até que alguém use uma ação para extinguir o fogo, a criatura sofre 5 (1d10) de dano de fogo no início de cada um dos turnos dela.


Chama Cegante (Recarga após um Descanso Curto). Todas as criaturas a até 12 metros do Boitatá devem fazer uma salvaguarda de Constituição CD 14. Se falharem, ficam cegas por 1 minuto. A criatura pode repetir a salvaguarda no final de cada um dos turnos dela, terminando o efeito sobre si caso obtenha sucesso.


Cone Flamejante (Recarrega 5–6). O boitatá pode expelir fogo em um cone de 6 metros. Cada criatura na área deve realizar um teste de salvaguarda de Destreza CD 14, sofrendo 42 (12d6) de dano ígneo se falhar na salvaguarda ou metade desse dano caso obtenha sucesso.

 

Adapte o Boitatá para outros sistemas com nosso Grimório

 

Imagem: Imagem de Rodrigo Martins (Rod San), no livro "Lendas", da editora Chiaroscuro. 2018.


Fontes de pesquisa:


ALVES, Januária. Abecedário de Personagens do Folclore Brasileiro. 1ª Edição. São Paulo: FTD: SESC Edições, 2017.


CASCUDO, Câmara. Geografia dos Mitos. 1ª ed. São Paulo: Global editora. 2012.


FRANCHINI, Ademilson. As 100 Melhores Lendas do Folclore Brasileiro. Porto Alegre: L&PM Editores. 2011.


MAGALHÃES, José Vieira Couto de. O Selvagem. Rio de Janeiro: Typ. da Reforma, 1876.


PEREIRA, Franz. Painel de Lendas & Mitos da Amazônia. Artigo vencedor do Concurso "Folclore Amazônico 1993" da Academia Paraense de Letras. 1ª reedição revisada. Belém. 2001.


NETO, Simões L. Contos Gauchescos e Lendas do Sul. Porto Alegre: L&PM Editores. 2013


#FolcloreBrasileiro #BestiárioTropical #RPG #Geek #DnD #LendasBrasileiras #RPGBrasil #DnD5e #Folclore #Boitata #Mitos

1.321 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo