Bradador (D&D 5ª ed) - Bestiário Tropical pag. 024

Um uivo choroso, que pode ser ouvido a centenas de metros, corta o vazio da noite. Uma assombração pálida e de olhos fundos e escuros aparece gritando e chorando. Sua pele é seca e quebradiça, seus olhos choram lágrimas constantes e sua expressão mistura ódio e desespero.


Bradadores foram pessoas que, em vida, cometeram pecados gravíssimos contra sua família ou seus amigos, motivados por ganância ou avareza. Ao morrer, são rejeitados pelo além e obrigados a vagar pela terra, chorando por sua sina e assombrando os mortais. Costumam vagar pelas estradas ou lugares malditos, principalmente nas sextas-feiras e noites de chuva, atacando qualquer um que vejam.


Esse destino normalmente é reservado àqueles que deixaram de cuidar dos filhos ou dos pais para não gastar dinheiro, deixando-os morrer de fome, aos que matam os pais pela herança ou os sócios por sua parte da sociedade e aos que negam comida aos santos e divindades, quando a tem em abundância.


Apesar de inteligentes, são movidas por um misto de ódio e culpa, descontando suas frustrações

em qualquer alvo possível, sendo difícil dialogar com eles, mas há quem diga que ainda é possível redimir suas almas.


Simbiose morta. Talvez por terem maldições semelhantes, bradadores e corpos secos (pag. 4 do Bestiário) são parceiros com frequência. Quando isso acontece, o bradador se esconde dentro do corpo seco durante a maior parte do tempo. O bradador não sofre nenhum dano por terminar o turno dentro daquela criatura.


Bradador

Morto vivo médio, neutro e mau.

 

Classe de Armadura: 13

Pontos de vida: 110 (20d8 +20)

Deslocamento: 0 m, voo 12 m (planar)

 

FOR DES CON INT SAB CAR

1 (-5) 17 (+3) 12 (+1) 12 (+1) 11 (+0) 18 (+4)

 

Salvaguardas: Sab +3, Car +7

Resistência a dano: Ácido, elétrico, fogo, trovejante, frio; Concussão, cortante e perfurante de ataques não mágicos.

Imunidade a dano: Necrótico

Imunidade a condições: Agarrado, paralisado, enfeitiçado, envenenado, caído, impedido, inconsciente, exausto, petrificado.

Sentidos: Visão no escuro 18 m, percepção passiva 10

Idiomas: Aqueles que falava em vida.

Desafio: 6 (2.300 XP)

 

Movimento Incorpóreo. O Bradador pode se mover através de criaturas e objetos como se eles fossem terreno difícil. Ele sofre 5 (1d10) de dano de energia se terminar seu turno dentro de um objeto ou criatura.


Resistência à Magia. O Bradador possui vantagem nos testes de resistência contra magias e outros efeitos mágicos.


Sensibilidade à Luz Solar. Enquanto estiver sob luz solar, o Bradador tem desvantagem nas jogadas de ataque, assim como em testes de Sabedoria (Percepção) relacionados à visão.

 

Ações:


Drenar Vida. Ataque Magico Corpo a Corpo: +7 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 10 (3d6) de dano necrótico. O alvo deve ser bem sucedido numa salvaguarda de Constituição (CD 15) ou seu máximo de pontos de vida será reduzido em um valor igual ao dano sofrido. Essa redução dura até o alvo terminar um descanso longo. O alvo morre se esse efeito reduzir seu máximo de pontos de vida a 0.


Brado Lamurioso (Recarga 6). Esse grito não produz efeito em constructos e mortos-vivos. Todas as outras criaturas a até 9 metros dele que puderem ouvi-lo devem realizar uma salvaguarda de Constituição (CD 15). Se falhar, a criatura sofre 17 (5d6) de dano necrótico e fica amedrontada por 1 minuto. Se falhar por 5 ou mais, a criatura cai a 0 pontos de vida. Se obtiver sucesso, a criatura sofre apenas metade do dano.

 

Adapte o Bradador para outros sistemas com nosso Grimório

 

Imagem: Hugo Puzzuoli (com edição nossa)


Fontes de pesquisa:


ALVES, Januária. Abecedário de Personagens do Folclore Brasileiro. 1ª Edição. São Paulo: FTD: SESC Edições, 2017.


CASCUDO, Câmara. Geografia dos Mitos. 1ª ed. São Paulo: Global editora. 2012.


CORRÊA, Maximiliano. A morte na perspectiva do fabulário brasileiro: os entes folclóricos e sua relação com a morte. Anais do Simpósio Nacional de Estudos da Religião da UEG, v. 1, n. 1, 2019.


CUSTODIO, Polyana C. O fascínio pelo medo: elementos que instigam. 2015.


NUNES, Sil. O Gritador. E foi desse jeito que eu ouvi. 29 set. 2009. In: <http://silnunesprof.blogspot.com/2009/09/o-gritador.html>. Acesso em 10 jan. 2021.


REIS FILHO, Lúcio. Na trilha do corpo-seco. Anais do IV Encontro Nacional do GT História das religiões e das Religiosidades–ANPUR. Revista Brasileira de História das Religiões. Maringá–PR, v. 5, 2013.



421 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo