top of page

Maçone (D&D 5ª ed) - Bestiário Tropical pag. 104


Vestido em uma pesada armadura de ferro zincado, a criatura revela traços de homem e de bode. Com pelo escuro e chifres longos e pés em forma de casco, possui o focinho comprido e dentes ameaçadores. Seus olhos são a parte mais distinta: são duas esferas açucaradas, como balas ou tortinhas.


Chamados de maçones, estas criaturas são seres malignos, comumente invocados por grupos de bruxos que estão em busca de conselhos ou de proteção. São seres bastante leais ao grupo, mas cobram um alto preço por sua presença. Essas criaturas se alimentam da carne de humanoides, com forte preferência pela de crianças pequenas e inocentes.


Em noites sem lua, é comum que essas criaturas se transformem em bodes pretos e corram pelos campos próximos. Caso escutem o choro de recém-nascidos em casas ou fazendas, não é incomum que esperem todos dormirem na propriedade para então invadirem e sequestrarem a criança. Esses seres têm preferência por devorar suas vítimas em rituais que podem levar horas, ao invés de apenas comerem no local em que as encontram, mas isso não é sempre possível.


Doces sedutores. Maçones gostam de atrair suas vítimas usando aquilo que sabem que elas vão desejar. Quando se trata de crianças, é comum que usem doces para isso. Com adultos, é mais complicado, mas eles buscarão um jeito de descobrir os desejos de uma pessoa para então oferecê-los como parte de algum acordo.


Maçone

Ínfero médio, ordeiro e mau

 

Classe de Armadura: 18 (armadura de placas)

Pontos de vida: 71 (11d8 + 22)

Deslocamento: 12 m

 

FOR DES CON INT SAB CAR

16 (+3) 14 (+2) 15 (+2) 14 (+2) 13 (+1) 18 (+4)

 

Perícias: Arcanismo +5, Furtividade +5, Historia +5, Persuasão +7

Resistência a danos: Gélido; Contundente, cortante e perfurante de ataques não-mágicos.

Imunidade a danos: Ígneo e venenoso

Imunidade a condições: Envenenado

Sentidos: Visão no escuro 36 m, percepção passiva 11

Idiomas: Comum e Infernal.

Desafio: 5 (1.800 XP) Bônus de Proficiência: +3

 

Metamorfo. Como uma ação bônus, o Maçone se metamorfoseia magicamente em um bode preto ou em uma humanoide médio ou de volta a sua forma original. Ele reverte a sua forma verdadeira se morrer. Qualquer equipamento vestido ou carregado é absorvido ou usado pela nova forma (à escolha do Maçone).

Suas estatísticas e capacidades (inclusive de falar) se mantém as mesmas em qualquer forma, exceto pelos ataques (não pode usar chifres e mordida na forma humanoide ou espada na forma de bode).

 

Ações:


Ataques Múltiplos. O Maçone faz dois ataques: um com a mordida, outro com a espada e, se disponível, usa Sopro Incinerante.


Espada. Arma de Combate Corpo a Corpo: +6 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 7 (1d8 + 3) pontos de dano cortante.


Mordida. Arma de Combate Corpo a Corpo: +6 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 8 (1d10 + 3) pontos de dano perfurante.


Chifre. Arma de Combate Corpo a Corpo: +6 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 8 (2d4 + 3) pontos de dano contundente.


Sopro Incinerante (Recarrega 5-6). O Maçone expele um cone de 4,5 metro de cinzas fumegantes. Cada criatura na área deve ser bem-sucedida em uma salvaguarda de Destreza CD 13, ou ficará cega até o final do próximo turno do Maçone.

 
 

Imagem: Daniel Hammer


Fontes de pesquisa:


SANTOS, Antônio. Pequeno Dicionário de Caipirês: A língua falada pelo povo. São Paulo: Nativa, 2001.


Entrevista do Grimório Tropical com ACAS Caipira, pesquisador especialista em cultura popular caipira.



610 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page