Mula Sem Cabeça (D&D 5ª ed) - Bestiário Tropical pag. 026

Essa criatura parece uma égua ou mula de grande porte e pelo escuro. Sua cauda é um facho de chamas e a criatura não possui uma cabeça; em seu lugar existe uma fogueira ardente, onde flutua um crânio chamuscado de cavalo solta fogo pelas ventas. Seu galope tem o som de cem ferraduras de aço e ela emite um som que mistura relinchos e gritos humanos.


Mulas sem cabeça surgem quando mulheres se tornam amantes de clérigos que fizeram voto de castidade. A mesma maldição também pode acometer ao clérigo que se tornar amante de uma mulher casada (nesse caso a criatura é chamada Cavalo Sem Cabeça).


Essa criatura se transforma, nas noites de quinta para sexta-feira (ou equivalente do cenário) em monstro feroz, insano e sem memórias de sua vida mortal, e irá correr por sete cidades, sete encruzilhadas e sete cemitérios, retornando à forma humanoide quando o sol nascer. Ela ataca sem piedade qualquer mortal que cruzar seu caminho, usando seu fogo e seus cascos, que cortam como navalhas. Depois, irá devorar seus olhos, unhas e dentes e seguir seu caminho.


Humanoide Amaldiçoado. Quando não estiver transformada, a Mula sem Cabeça usa o bloco de estatísticas de um PdM humanoide a escolha do mestre. Ela perde todas as habilidades como Mula sem Cabeça e seu tipo de criatura muda para humanoide (metamorfo). A critério do mestre, efeitos que afetem ínferos também podem afetar a Mula sem Cabeça em sua forma humanoide.


Retirar o arreio. A critério do mestre, a Mula pode ter um arreio de ouro ou de ferro em sua boca ou cavidade. Caso alguém consiga arrancá-lo, a maldição da criatura se encerra para sempre. Para remover o arreio, um personagem precisa esta agarrando a Mula e usar uma ação para para enfiar a mão na boca (ou chamas; ver o box de texto abaixo), para fazer um teste de atributo Força com CD 16. Se falhar, o personagem leva 14 (4d6) pontos de dano ígneo, ou metade disso, se for bem sucedido. Além disso, a maldição só poderá ser encerrada com a magia Desejo.

 

Mas não é sem cabeça? Depende. Há versões no nosso folclore em que essa criatura é descrita não tendo apenas um fogaréu no lugar da cabeça e versões onde ela possui uma caveira de burro em meio às chamas, mas mantém o mesmo nome: Mula Sem Cabeça. Essa característica não interfere nas estatísticas da criatura, dando ao mestre a liberdade para descrevê-la como preferir.

 

Mula Sem Cabeça

Ínfero grande (metamorfo), caótico e mau

 

Classe de Armadura: 16 (armadura natural)

Pontos de vida: 123 (13d10 + 52)

Deslocamento: 21 m

 

FOR DES CON INT SAB CAR

20 (+5) 14 (+) 18 (+4) 8 (-1) 14 (+2) 14 (+2)

 

Salvaguardas: Int +2, Sab +5

Perícias: Percepção +5

Resistência a danos: Gélido

Imunidade a danos: Ígneo

Imunidade à condições: Cego e surdo

Sentidos: Percepção às cegas 18 m, visão no escuro 36 m, Percepção passiva 16

Idiomas: Entende infernal, abissal e todos os idiomas que conhece destransformada, mas não fala

Desafio: 6 (2.300 XP)

 

Atropelar em Carga. Se a Mula sem Cabeça se mover pelo menos 6 metros em linha reta em direção a uma criatura e então acertá-la com um ataque de cascos no mesmo turno, o alvo deve fazer salvaguarda de Força, CD 16. Se falhar, ficará caído. Se o alvo estiver caído, a Mula pode fazer outro ataque com os cascos contra o alvo como uma ação bônus.


Iluminação. A Mula sem Cabeça emite luz plena num raio de 3 metros e penumbra por mais 3 metros adicionais.


Presença Amaldiçoada. Cada criatura que esteja a até 18 metros da Mula e esteja ciente disso deve ser bem sucedida numa salvaguarda de Sabedoria, CD 13, ou ficará amedrontada por 1 minuto. Uma criatura pode repetir a salvaguarda no final de cada um dos turnos dela, terminando o efeito sobre si, caso obtenha sucesso. Se a salvaguarda de uma criatura for bem sucedido ou caso o efeito termine, a criatura ficará imune à Presença Amaldiçoada da Mula pelas próximas 24 horas.

 

Ações:


Cascos. Arma de Combate Corpo a Corpo: +8 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 14 (2d8 + 5) pontos de dano cortante mais 4 (1d8) pontos de dano ígneo. A Mula sem Cabeça pode escolher causar dano contundente ao invés de cortante.


Sopro Flamejante (Recarrega 5–6). A Mula sem Cabeça pode expelir fogo num cone de 9 metros. Cada criatura na área deve realiza uma salvaguarda de Destreza, CD 16, sofrendo 35 (10d6) pontos de dano ígneo, se falhar, ou metade desse dano, caso obtenha sucesso.

 

Adapte a Mula Sem Cabeça para outros sistemas com nosso Grimório

 

Imagem: Julia Guimarães


Fontes de pesquisa:


ALVES, Januária. Abecedário de Personagens do Folclore Brasileiro. 1ª Edição. São Paulo: FTD: SESC Edições, 2017.


ARAUJO; Alceu M. Estórias e Lendas de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Tomo I. 2ª edição. São Paulo: Edigraf. 1960.


CASCUDO, Câmara. Geografia dos Mitos. 1ª ed. São Paulo: Global editora. 2012.


COSTA, Andrioli. A Mulher do Padre - Tradição e Misoginia na Adaptação Audiovisual do Mito da Mula Sem Cabeça. XVII Encontro dos Grupos de Pesquisas em Comunicação, 40º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Curitiba. 2017.


DANTAS, Paulo. Estórias e Lendas do Norte e Nordeste. 2ª edição. São Paulo: Edigraf. 1960.


LACERDA; Regina. Estórias e Lendas de Mato Grosso e Goiás. 2ª edição. São Paulo: Edigraf. 1960.


NETO, Simões L. Contos Gauchescos e Lendas do Sul. Porto Alegre: L&PM Editores. 2013.


PEREIRA, José Carlos. O encantamento da sexta-feira santa: manifestações do catolicismo no folclore brasileiro. São Paulo: Annablume, 2005.


REIS, Aaron S. BRINCADEIRAS, RELIGIOSIDADES E ALIMENTAÇÃO NAS DÉCADAS DE 1940 E 1950 NAS MEMÓRIAS DE UMA CABOCLA SERGIPANA. Revista Fórum Identidades, 2013.

613 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo