top of page

Mula Sem Cabeça (D&D 5ª ed) - Bestiário Tropical pag. 026

Essa criatura parece uma égua ou mula de grande porte e pelo escuro. Sua cauda é um facho de chamas e a criatura não possui uma cabeça; em seu lugar existe uma fogueira ardente, onde flutua um crânio chamuscado de cavalo solta fogo pelas ventas. Seu galope tem o som de cem ferraduras de aço e ela emite um som que mistura relinchos e gritos humanos.


Mulas sem cabeça surgem quando mulheres se tornam amantes de clérigos que fizeram voto de castidade. A mesma maldição também pode acometer ao clérigo que se tornar amante de uma mulher casada (nesse caso a criatura é chamada Cavalo Sem Cabeça).


Essa criatura se transforma, nas noites de quinta para sexta-feira (ou equivalente do cenário) em monstro feroz, insano e sem memórias de sua vida mortal, e irá correr por sete cidades, sete encruzilhadas e sete cemitérios, retornando à forma humanoide quando o sol nascer. Ela ataca sem piedade qualquer mortal que cruzar seu caminho, usando seu fogo e seus cascos, que cortam como navalhas. Depois, irá devorar seus olhos, unhas e dentes e seguir seu caminho.


Humanoide Amaldiçoado. Quando não estiver transformada, a Mula sem Cabeça usa o bloco de estatísticas de um PdM humanoide a escolha do mestre. Ela perde todas as habilidades como Mula sem Cabeça e seu tipo de criatura muda para humanoide (metamorfo). A critério do mestre, efeitos que afetem ínferos também podem afetar a Mula sem Cabeça em sua forma humanoide.


Retirar o arreio. A critério do mestre, a Mula pode ter um arreio de ouro ou de ferro em sua boca ou cavidade. Caso alguém consiga arrancá-lo, a maldição da criatura se encerra para sempre. Para remover o arreio, um personagem precisa esta agarrando a Mula e usar uma ação para para enfiar a mão na boca (ou chamas; ver o box de texto abaixo), para fazer um teste de atributo Força com CD 16. Se falhar, o personagem leva 14 (4d6) pontos de dano ígneo, ou metade disso, se for bem sucedido. Além disso, a maldição só poderá ser encerrada com a magia Desejo.

 

Mas não é sem cabeça? Depende. Há versões no nosso folclore em que essa criatura é descrita não tendo apenas um fogaréu no lugar da cabeça e versões onde ela possui uma caveira de burro em meio às chamas, mas mantém o mesmo nome: Mula Sem Cabeça. Essa característica não interfere nas estatísticas da criatura, dando ao mestre a liberdade para descrevê-la como preferir.

 

Mula Sem Cabeça

Ínfero grande (metamorfo), caótico e mau

 

Classe de Armadura: 16 (armadura natural)

Pontos de vida: 123 (13d10 + 52)

Deslocamento: 21 m

 

FOR DES CON INT SAB CAR

20 (+5) 14 (+) 18 (+4) 8 (-1) 14 (+2) 14 (+2)

 

Salvaguardas: Int +2, Sab +5

Perícias: Percepção +5

Resistência a danos: Gélido

Imunidade a danos: Ígneo

Imunidade à condições: Cego e surdo

Sentidos: Percepção às cegas 18 m, visão no escuro 36 m, Percepção passiva 16

Idiomas: Entende infernal, abissal e todos os idiomas que conhece destransformada, mas não fala

Desafio: 6 (2.300 XP)

 

Atropelar em Carga. Se a Mula sem Cabeça se mover pelo menos 6 metros em linha reta em direção a uma criatura e então acertá-la com um ataque de cascos no mesmo turno, o alvo deve fazer salvaguarda de Força, CD 16. Se falhar, ficará caído. Se o alvo estiver caído, a Mula pode fazer outro ataque com os cascos contra o alvo como uma ação bônus.


Iluminação. A Mula sem Cabeça emite luz plena num raio de 3 metros e penumbra por mais 3 metros adicionais.


Presença Amaldiçoada. Cada criatura que esteja a até 18 metros da Mula e esteja ciente disso deve ser bem sucedida numa salvaguarda de Sabedoria, CD 13, ou ficará amedrontada por 1 minuto. Uma criatura pode repetir a salvaguarda no final de cada um dos turnos dela, terminando o efeito sobre si, caso obtenha sucesso. Se a salvaguarda de uma criatura for bem sucedido ou caso o efeito termine, a criatura ficará imune à Presença Amaldiçoada da Mula pelas próximas 24 horas.

 

Ações:


Cascos. Arma de Combate Corpo a Corpo: +8 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 14 (2d8 + 5) pontos de dano cortante mais 4 (1d8) pontos de dano ígneo. A Mula sem Cabeça pode escolher causar dano contundente ao invés de cortante.


Sopro Flamejante (Recarrega 5–6). A Mula sem Cabeça pode expelir fogo num cone de 9 metros. Cada criatura na área deve realiza uma salvaguarda de Destreza, CD 16, sofrendo 35 (10d6) pontos de dano ígneo, se falhar, ou metade desse dano, caso obtenha sucesso.

 
 

Fontes de pesquisa:


ALVES, Januária. Abecedário de Personagens do Folclore Brasileiro. 1ª Edição. São Paulo: FTD: SESC Edições, 2017.


ARAUJO; Alceu M. Estórias e Lendas de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Tomo I. 2ª edição. São Paulo: Edigraf. 1960.


CASCUDO, Câmara. Geografia dos Mitos. 1ª ed. São Paulo: Global editora. 2012.


COSTA, Andrioli. A Mulher do Padre - Tradição e Misoginia na Adaptação Audiovisual do Mito da Mula Sem Cabeça. XVII Encontro dos Grupos de Pesquisas em Comunicação, 40º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Curitiba. 2017.


DANTAS, Paulo. Estórias e Lendas do Norte e Nordeste. 2ª edição. São Paulo: Edigraf. 1960.


LACERDA; Regina. Estórias e Lendas de Mato Grosso e Goiás. 2ª edição. São Paulo: Edigraf. 1960.


NETO, Simões L. Contos Gauchescos e Lendas do Sul. Porto Alegre: L&PM Editores. 2013.


PEREIRA, José Carlos. O encantamento da sexta-feira santa: manifestações do catolicismo no folclore brasileiro. São Paulo: Annablume, 2005.


REIS, Aaron S. BRINCADEIRAS, RELIGIOSIDADES E ALIMENTAÇÃO NAS DÉCADAS DE 1940 E 1950 NAS MEMÓRIAS DE UMA CABOCLA SERGIPANA. Revista Fórum Identidades, 2013.

1.563 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Comment


Jean
Jean
Aug 18, 2023

Fortíssima

Like
bottom of page