Pé de Garrafa (D&D 5ª ed) - Bestiário Tropical pag. 088

Essa criatura foi escolhida pelos nossos apoiadores. Apoie também nosso projeto.


A trilha de pegadas redondas termina de frente para uma criatura com aproximadamente dois metros de altura e corpo bastante peludo, como de um macaco. Suas mãos terminam em longas unhas sujas. Seu rosto possui apenas um olho, grande e vermelho, e um pequeno chifre na testa. A besta tem apenas uma perna, que termina em um pé redondo, deixando marcas que parecem o fundo de uma garrafa.


Por causa de suas pegadas, esse tipo de criatura ficou conhecida como Pé de Garrafa, um ser que pode ser encontrado em densas florestas, em regiões de penhascos e matas próximas de rios. Se alimentam de carne e tem preferência por humanoides, mas preferem evitar combates em campo aberto contra grupos grandes. Muitas vezes, preferem deixar seus inimigos cansados, perdidos e tontos, para que se tornem alvos fáceis. Também podem provocar acidentes, mas preferem sempre a carne fresca.


Imitador ardiloso. O Pé de Garrafa é capaz de imitar qualquer som que já tenha ouvido com perfeição, desde o canto de pássaros até a voz humana. Mesmo que ele não saiba o que significam as palavras, a criatura entende um ou mais jeitos de gritos de socorro, que utiliza ao enganar grupos de aventureiros na mata. Não é incomum que um Pé de Garrafa saiba gritar um nome comum da região onde vive, como "João", por exemplo.


Febre Delirante. Criaturas que saiam vivas de um encontro com o Pé de Garrafa ainda não estão a salvo. Essa criatura transmite um tipo de doença que causa febre alta, e alucinações. Uma criatura deve ser sucedida em uma salvaguarda de Constituição após um encontro com a criatura (CD 13) para não contrair a doença e pode repetir a salvaguarda a cada amanhecer para se curar, recebendo um nível de exaustão em caso de falha. Criaturas com a essa doença não podem recuperar níveis de exaustão.

A Febre Delirante é considerada uma doença mágica e só é transmitida pelo Pé de Garrafa.



Pé de Garrafa

Aberração média, neutro e mau

 

Classe de Armadura: 15 (armadura natural)

Pontos de vida: 119 (14d8 +56)

Deslocamento: 9 m

 

FOR DES CON INT SAB CAR

20 (+5) 14 (+2) 19 (+4) 14 (+2) 15 (+2) 6 (-2)

 

Perícias: Furtividade +5, Percepção +5, Sobrevivência +5

Resistência a danos: Contundente, cortante e perfurante

Sentidos: Visão no escuro 18 m, percepção passiva 15

Idiomas: Nenhum

Desafio: 7 (2.900 XP) Bônus de Proficiência: +3

 

Conjuração Inata. O atributo de conjuração do Pé de Garrafa é inteligência. A CD de salvaguarda é 13 e seu bônus de acerto é +5. Ele pode conjurar, inatamente, as seguintes magias sem a necessidade de componentes:

À vontade: Arte Druídica, Chicote de Espinhos, Lufada

3/dia: Aumentar/Encolher (pessoal), Invisibilidade, Passo Arbóreo, Contágio.


Percepção de Profundidade Ruim. O Pé de Garrafa tem desvantagem em qualquer jogada de ataque contra um alvo a mais de 9 metros de distância dele.


Ponto Fraco. O umbigo do Pé de Garrafa não tem a mesma proteção do resto do seu corpo, tornando um ponto frágil. Se ambos os dados de um ataque com vantagem atingirem o ataque, as resistências do Pé de Garrafa são ignoradas pelo ataque.

 

Ações:


Ataques Múltiplos. O Pé de Garrafa faz dois ataques: um com as garras e outro com o pisão.


Garras. Arma de Combate Corpo a Corpo: +8 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 9 (1d8 + 5) pontos de dano cortante. Se o alvo for uma criatura, ela deve ser bem-sucedida em uma salvaguarda de Força CD 16 ou ficará caída.


Pisão. Arma de Combate Corpo a Corpo: +8 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo caído. Dano: 14 (2d8 +: 5) pontos de dano contundente.


Assobio Hipnótico. Cada criatura, à escolha do Pé de Garrafa, a até 18 metros dele e possa ouvi-lo, deve ser bem sucedida num salvaguarda de Sabedoria CD 13 ou ficará amedrontada ou enfeitiçado (a escolha do Pé de Garrafa) por 1 minuto. Uma criatura pode repetir a salvaguarda no final de cada um dos turnos dela, terminando o efeito sobre si, caso obtenha sucesso. Se a salvaguarda de uma criatura for bem sucedido ou caso o efeito termine sobre ela, a criatura ficará imune ao Assobio Hipnótico pelas próximas 24 horas.

 

Adapte o Pé de Garrafa para outros sistemas com nosso Grimório

 

Imagem: Douglas Reticolo Nogueira


Fontes de pesquisa:


ALVES, Januária. Abecedário de Personagens do Folclore Brasileiro. 1ª Edição. São Paulo: FTD: SESC Edições, 2017.


CAMPOS, Maria Cristina. A Lenda do Pé de Garrafa. ANPUH – XXIII Simpósio Nacional de História. Londrina, 2005.


CASCUDO, Câmara. Geografia dos Mitos. 1ª ed. São Paulo: Global editora. 2012.


HAUG, Martha Johanna. Folclore em Chapada dos Guimarães - MT. Coleção Pesquisa. v. 1. São Paulo: Escola de Folclore/Secretaria de Estado de Cultura, 1983.


SILVA, Joana Aparecida Fernandes. Relações ecológicas e seres fantásticos. Projeto História: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História, v. 22. São Paulo: PUC, 2001.


TEIXEIRA, José. Folclore Goiano: Cancioneiro - Lendas - Superstições. 2ª edição. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.


Depoimentos e relatos recolhidos pelo Grimório Tropical com moradores dos estados do Pará, Tocantins e Mato Grosso do Sul.

116 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo