Rasga Mortalha (D&D 5ª ed) - Bestiário Tropical pag. 015

Atualizado: 27 de ago. de 2021

Uma coruja de peito branco, com as costas e asas asas cor de terra e olhos totalmente pretos. Para alguém que esteja próximo, seu bater de asas pode lembrar o som de um tecido sendo rasgado. Seu piado é assustador, mas ela o usa pouco. Ainda bem, pois ouvir este som é, certamente, um mau agouro.


Também chamada de "coruja das torres", "coruja de igreja" ou "suindara", a Rasga Mortalha é um animal aparentemente comum. Nenhum traço de sobrenatural é visto nessa criatura, exceto por aqueles que já conhecem seus dons. Essas corujas são capazes de sentir, através de sua grande sensibilidade, se a sombra da morte paira sobre alguém, embora não consigam distinguir se a criatura em questão irá realmente morrer ou apenas passar um risco muito grande.


Pessoas sábias normalmente prestam atenção aos agouros de uma rasga mortalha, mas há aqueles que, erroneamente, pensam que é a coruja quem estaria rogando pragas na vida daquela pessoa, sem entender que ela é só uma mensageira de um destino que, algumas vezes, pode até ser evitado


Rasgar a Mortalha. Quando sente a presença de alguém com grande risco de morrer por qualquer causa, a rasga mortalha dá um piado característico, anunciando o agouro de morte. Dificilmente é possível dizer quem irá sofrer este destino. Quando ela o faz, diz-se que ela está "rasgando a mortalha" de alguém.


Familiar. Com a permissão do DM, uma pessoa que conjurar a magia Convocar Familiar pode escolher convocar uma Rasga Mortalha, ao invés de uma coruja normal.


Rasga Mortalha

Fera minúscula, sem alinhamento

 

Classe de Armadura: 11

Pontos de vida: 3 (2d4-2)

Deslocamento: 1,5 m, voo 18 m.

 

FOR DES CON INT SAB CAR

3 (-4) 13 (+1) 8 (-1) 4 (-3) 14 (+2) 6 (-2)

 

Salvaguardas: Car +0

Perícias: Furtividade +3, Percepção +4

Sentidos: Visão no escuro 18 m; Percepção passiva 14

Idiomas: Nenhum

Desafio: 0 (10 XP)

 

Audição e Visão Aguçadas. Esta criatura tem vantagem em testes de Sabedoria (Percepção) que dependam da audição ou da visão.


Detectar Mortos-Vivos. A Rasga Mortalha pode sentir a presença e localização de um morto-vivo que encontre-se a até 18 metros de distância. Da mesma forma, ela sabe se existe um lugar ou objeto a até 9 metros que tenha sido magicamente profanado.


Sobrevoo. Esta criatura não provoca ataques de oportunidade quando voa para fora do alcance de um oponente.


Pressentir a Mortalha. A Rasga Mortalha pode sentir a morte se aproximando. Por meios sobrenaturais, sempre que conseguir ver uma criatura, ela é capaz de sentir se esta irá falecer ou sofrer um grande risco de morte nos próximos 3 dias. Além disso, se uma criatura estiver fazendo salvaguardas contra a morte ou morrendo por causas naturais a até 36 m da Rasga Mortalha, ela sabe a localização exata do moribundo.

 

Ações:

Garras. Arma de Combate Corpo a Corpo: +3 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: l ponto de dano cortante.

 

Bestiário - Anexo da página 15: Rasga Mortalha Gigante


Corujas gigantes dessa espécie são criaturas raras no plano mortal, pois são animais originários de planos celestiais. Idênticas a sua versão menor, porém com cerca de 3,5 metros de altura, são criaturas sensíveis e inteligentes, que normalmente evitam locais muito povoados, pois se incomodam com a presença de más energias, principalmente de mortos vivos. Podem viver em casais ou pequenos bandos, mas algumas se tornam solitários caso o parceiro venha a falecer.


É dito que ouvir o "rasgar de mortalha" dessas criaturas é um péssimo sinal, pois elas não é sempre que elas alertar sobre a morte de apenas um indivíduo. Alguns dizem que essas criaturas já anunciaram a morte de tripulações inteiras, o massacre de exércitos ou a dizimação de grupos de aventureiros.


As penas dessas criaturas servem de ingredientes para a fabricação de artefatos de adivinhação ou proteção contra magias das trevas.


Rasga Mortalha Gigante

Celestial grande, sem alinhamento

 

Classe de Armadura: 12

Pontos de vida: 26 (4d10+4)

Deslocamento: 1,5 m, voo 18 m.

 

FOR DES CON INT SAB CAR

14 (+2) 15 (+2) 12 (+1) 8 (-1) 15 (+2) 10 (+0)

 

Salvaguardas: Car +2

Perícias: Furtividade +4, Percepção +6

Resistências a dano: Necrótico

Sentidos: Visão no escuro 18 m; Percepção passiva 16

Idiomas: Nenhum

Desafio: 1/2 (100 XP)

 

Audição e Visão Aguçadas. Esta criatura tem vantagem em testes de Sabedoria (Percepção) que dependam da audição ou da visão.


Condutor dos Falecidos. Os ataques dessa criatura são considerados armas mágicas contra mortos-vivos, seus pontos de vida não podem ser reduzidos por habilidades de mortos-vivos e criaturas com característica Movimento Incorpóreo não podem se mover através dela; ela interage normalmente com essas criaturas.


Detectar Mortos-Vivos. A Rasga Mortalha pode sentir a presença e localização de um morto-vivo que encontre-se a até 18 metros de distância. Da mesma forma, ela sabe se existe um lugar ou objeto a até 9 metros que tenha sido magicamente profanado.


Sobrevoo. Esta criatura não provoca ataques de oportunidade quando voa para fora do alcance de um oponente.


Resistência a Magia. Esta criatura tem vantagem em salvaguardas contra magias e outros efeitos mágicos.


Pressentir a Mortalha. A Rasga Mortalha pode sentir a morte se aproximando. Por meios sobrenaturais, sempre que conseguir ver uma criatura, ela é capaz de sentir se esta irá falecer ou sofrer um grande risco de morte nos próximos 3 dias. Além disso, se uma criatura estiver fazendo salvaguardas contra a morte ou morrendo por causas naturais a até 36 m da Rasga Mortalha, ela sabe a localização exata do moribundo.

 

Ações:

Garras. Ataque Corpo-a-Corpo com Arma: +4 para atingir, alcance 1,5 m, um alvo. Acerto: 9 (2d6 + 2) de dano cortante.

 

Adapte a Rasga Mortalha para outros sistemas com nosso Grimório

 

Imagem: Heather A. Mitchell


Fontes de pesquisa:


CASCAES, Franklin. O Fantástico da Ilha de Santa Catarina. 1ª ed. Florianópolis: Editora UFSC. 2015.


CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. 10ª ed. São Paulo: Ediouro. s/d, ISBN 85-00-80007-0.


CASCUDO, Câmara. Geografia dos Mitos. 1ª ed. São Paulo: Global editora. 2012.


DA SILVA, Cleverton; DA SILVA, Tainara; WHITE, Benjamim. Aversão à espécies de aves por moradores da zona urbana e rural do município de Itabaiana, Sergipe, Brasil. Etnobiologia, v. 15, n. 2, p. 5-15, 2017.


DANTAS, Adelannia; FREIRE, Manoel. A coruja como símbolo de morte em “as corujas” de Moreira Campos. A Cor das Letras, v. 18, n. 1, p. 7-18, 2017.


DE PINHO, Rudá Silva. Perspectivas espaciais sobre a construção do imaginário de medo em bairros periféricos de Belém do Pará (1950-1980). Equatorial–Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, v. 4, n. 6, p. 35-52, 2017.


PEREIRA, Franz Kreüther. Painel de lendas e mitos da Amazônia. Belém: Gráfica Falângola, 1994.


SILVA, Liliane Viana da. Viver e acreditar: crenças e superstições do sertão nordestino. 2018.


Relatos orais, recolhidos pelo Grimório Tropical com folcloristas de diversas localidades do Brasil, através da IOV Brasil

366 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo