Romãozinho (D&D 5ª ed) - Bestiário Tropical pag. 069

Esta criatura foi escolhida pelos nossos apoiadores. Faça parte desse apoio.


Romãozinho sempre foi uma criança maligna, que adorava torturar os animais e causar confusões. Ainda criança, aprontou todas as travessuras que pôde, até que um conseguiu enganar seu pai e fazer com que ele matasse sua mãe. Quando o homem percebeu o que havia feito por culpa da criança, amaldiçoou para sempre a alma do filho, que por seus pecados, agora não poderia mais morrer, transformando-se em uma assombração infernal que ronda regiões rurais, atormentando a vida alheia.


Sua aparência é diferente em cada lugar em que histórias sobre ele são contadas. Quase sempre, sua forma é de uma criança, de pele negra e vestindo pouca ou nenhuma roupa e coberto de chamas azuís. Alguns dizem que adquiriu orelhas pontudas, rabo de bode ou até pequenos chifres demoníacos, mas sempre contam que ele abusa de seus poderes para atormentar a vida alheia, principalmente dos viajantes. Perturba aqueles que dormem, destruindo telhados, maltratando os animais ou causando prejuízos nas plantações. Durante as noites, é comum que ele assuma a forma de uma esfera voadora de fogo azul, voando pelos vales e campos, colocando medo em que esta fora de casa.


Disfarçar-se. Como uma ação bônus, o Romãozinho pode disfarçar, visualmente, qualquer característica sobrenatural que possua, como suas chamas. Quando faz isso, ele desativa temporariamente as habilidades "Iluminação" e "Corpo Ardente".


Oferendas. Comida. principalmente leite e doces, podem comprar sua simpatia, para que ele não atrapalhe ou até que ajude quem o agrada.


Armadilhas travessas. Romãozinho é proficiente em montar vários tipos armadilhas as faz parecerem com acidentes comuns. Seu objetivo com essas armadilhas não é apenas o de causar dano, mas fazer seus alvos passarem por situações humilhantes e assustadoras.


Romãozinho

Ínfero pequeno, caótico e mau

 

Classe de Armadura: 14

Pontos de vida: 49 (11d6 +11)

Deslocamento: 9 m (voo 18 m em forma de fogo fátuo)

 

FOR DES CON INT SAB CAR

13 (+1) 18 (+4) 13 (+1) 13 (+1) 12 (+1) 15 (+2)

 

Perícias: Enganação +4, Furtividade +8, Prestidigitação +6

Resistência a danos: Ígneo; cortante, contundente e perfurante de ataques não-mágicos

Sentidos: Visão no escuro 18 m, Percepção passiva 11

Idiomas: Comum e Infernal

Desafio: 3 (700 XP) Bônus de Proficiência: +2

 

Armas Ardentes. Quando o Romãozinho atinge com uma arma corpo a corpo de metal, ele causa 3 (1d6) de dano de fogo extra (incluso no ataque).


Conjuração Inata. A habilidade de conjuração do Romãozinho é Carisma (CD de resistência de magia 12). Ele pode conjurar, inatamente, as seguintes magias, sem necessidade de componentes materiais:

À vontade: invisibilidade (pessoal apenas), traquinagem.

3/dia cada: arrombar, passo nebuloso.

1/dia cada: forma gasosa (pessoal apenas).


Corpo Ardente. Uma criatura que toque o Romãozinho ou atinja ele com um ataque corpo-a-corpo a até 1,5 metro dele, sofre 5 (1d10) de dano de fogo.


Forma de Fogo Fátuo. O Romãozinho pode usar uma ação para se transformar em uma bola de chamas azuis ou voltar ao normal. Enquanto estiver nesta forma ele pode apenas planar, não pode ser derrubado ou efetuar ataques com sua faca.

 

Ações:


Ataques Múltiplos. O Romãozinho faz dois ataques com faca.


Faca. Arma de Combate Corpo a Corpo: +6 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 7 (1d6 + 4) pontos de dano perfurante mais 3 (1d6) pontos de dano ígneo.


Toque Flamejante. Arma de Combate Corpo a Corpo: +6 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 8 (1d8 + 4) pontos de dano ígneo.


Ventania. Um cilindro de vento de 6 m de altura se forma ao redor do Romãozinho. Qualquer criatura a 1,5m do cilindro deve ser bem sucedida em uma salvaguardada de força CD 14 ou cairá no chão e ficará impedida por um turno.

 

Adapte o Romãozinho para outros sistemas com nosso Grimório

 

Imagem: Gabriel Pereira


Fontes de pesquisa:


ALVES, Januária. Abecedário de Personagens do Folclore Brasileiro. 1ª Edição. São Paulo: FTD: SESC Edições, 2017.


ALVES, Januária. O Saci-Pererê e outras figuras traquinas do folclore brasileiro. 1ª Edição. São Paulo: FTD: Educação, 2017.


CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. 10ª ed. São Paulo: Ediouro, 1952.


CATACCHIO, Gianmarco. A Guararavacã do Guaicuí: o paraíso no inferno do sertão. Navegações, v. 5, n. 1, p. 32-39, 2012.


TEIXEIRA, José. Folclore Goiano: Cancioneiro - Lendas - Superstições. 2ª edição. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.


136 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo