Tibungue (D&D 5ª ed) - Bestiário Tropical pag. 065

Atualizado: 4 de dez. de 2021

Gostou do conteúdo? Apoie nosso projeto.


Um homem negro, baixo, musculoso, perneta e monstruosamente feio surge misteriosamente. Há uma flecha atravessada em sua cabeça, com a ponta flamejante saindo de sua testa. Seus dentes são afiados, seus dedos terminam em garras e seu olhos são brilhantes e diabólicos. Ele não veste roupa alguma.


Tibungues Zererês são uma espécie distinta de saci. Assim como seus primos, os pererês, eles não podem se transformar em redemoinhos ou em passarinhos, mas também adoram fazer pegadinhas com as pessoas, escondendo objetos, estragando a comida ou causando confusões. Porém, suas brincadeiras não são tão inocentes e costumam terminar com alguém ferido. Além disso, essa espécie se alimenta de carne e possui um gosto especial por crianças humanoides.


Costumam viver solitários ou em pequenos grupos nas matas que não sejam muito distantes de vilarejos, que atacam na calada da noite, em busca de alimento ou apenas para seus divertimentos macabros. Raramente se arriscam enfrentando grupos de inimigos, preferindo agir de forma silenciosa sempre que possível, exceto se estiverem em completa vantagem numérica e estratégica.


Notórios covardes. Tibungues não são criaturas corajosas e vão fugir, sempre que possível, ao menor sinal de perigo, se aproveitando de suas capacidades mágicas para isso. Algumas vezes se arriscam em entrar em um quarto de criança, mas é mais comum que capturem aqueles que se perdem sozinhas nas florestas.


Prazer em assustar. Esse feérico possui um prazer especial em deixar seus alvos confusos e irritá-los e em brincar com seus medos de formas cruéis e sutis, caso tenha tempo e a segurança necessária, claro. Entre seus truques favoritos estão: fazer barulho nos telhados, apagar o fogo e deixar todos no escuro e assoviar canções sinistras, desaparecendo em seguida.


Tibungue Zererê

Feérico médio, caótico e mau.

 

Classe de Armadura: 15 (armadura natural)

Pontos de vida: 161 (19d8 + 76)

Deslocamento: 12 m

 

FOR DES CON INT SAB CAR

16 (+3) 19 (+4) 14 (+2) 13 (+1) 12 (+1) 15 (+2)

 

Salvaguardas: Des +7, Car +5

Perícias: Acrobacia +8, Enganação +5, Furtividade +8, Percepção +4, Prestidigitação +11, Sobrevivência +4

Imunidade a danos: Ígneo.

Sentidos: Visão no escuro 36 m, Percepção passiva 14

Idiomas: Comum e Silvestre.

Desafio: 5 (1.800 XP)

 

Conjuração Inata. O atributo de conjuração do Tibungue é Carisma (CD de resistência de magia 12). Ele pode conjurar, inatamente, as seguintes magias, sem necessidade de componentes materiais:


À vontade: Controlar Chamas, Invisibilidade (pessoal apenas), Salto (pessoal apenas), Traquinagem.

3/dia cada: Mãos Flamejantes, Arma Elemental (fogo apenas), Reduzir (pessoal apenas).


Invasor Minúsculo. Quando o Tibungue usa a magia reduzir, ele pode encolher até o tamanho miúdo, ficando pequeno o suficiente para passar pelo buraco de um fechadura e tem vantagem em testes de Furtividade.

 

Ações:


Ataques Múltiplos. O Tibungue faz três ataques: um com mordida e dois com garras.


Mordida. Arma de Combate Corpo a Corpo: +6 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 6 (ld6 + 3) pontos de dano perfurante.


Garras. Arma de Combate Corpo a Corpo: +6 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 7 (ld8 + 3) pontos de dano cortante.


Arremessar Chamas. Arma de Combate à Distância: +7 para acertar, distância 36 m, um alvo. Dano: 14 (4d6) pontos de dano ígneo.

 

Adapte o Tibungue para outros sistemas com nosso Grimório

 

Imagem: Gabriel Pereira


Fontes de pesquisa:


ALVES, Januária. Abecedário de Personagens do Folclore Brasileiro. 1ª Edição. São Paulo: FTD: SESC Edições, 2017.


ALVES, Januária. O Saci-Pererê e outras figuras traquinas do folclore brasileiro. 1ª Edição. São Paulo: FTD: Educação, 2017.


CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. 10ª ed. São Paulo: Ediouro, 1954.

181 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo