Zumbi dos Palmares - Personagens do Brasil pag. 008

Atualizado: 24 de nov. de 2021

(Esse conteúdo foi possível graças aos nossos apoiadores. Apoie você também.)


A palavra Zumbi vem do idioma quibundo e significa algo como "espírito que anda entre os vivos". Alguns historiadores acreditam que seria um título passado por gerações em Palmares, mas a história deste Zumbi em si ganhou destaque por ter sido o último e talvez o mais importante líder da história do quilombo.


Durante o período colonial, a escravidão era uma realidade. Os negros que conseguiam fugir desse regime se reuniam em comunidades chamadas quilombos. Palmares foi o maior deles, formado por mocambos (aldeias quilombolas) e crescendo por cerca de um século, até que os portugueses não poderiam ignorá-lo e fizeram um acordo de paz com Ganga Zumba, o penúltimo líder. O acordo não durou muito, pois os portugueses trairiam e Ganga viria a morrer, deixando Zumbi como sucessor natural. Era um general forte e bem alto, um guerreiro formidável e uma liderança política respeitada no quilombo.


Sua primeira ação notável foi a mudança de estratégias de combate. O exército de Palmares, de defesa passiva, passava a ser um exército de guerrilha, se estrutura em pequenas unidades de combate, realizando armadinhas, fossos, falsas picadas e emboscadas no meio da mata, atacando engenhos buscando armas, munição e realizando libertação em massa de cativos. Assim, os mocambos se multiplicavam e ficavam fortes.


Zumbi reinou por mais de uma década, impondo resistência aos portugueses, que temiam uma aliança entre os quilombos e os povos indígenas locais. Foram ao menos 13 incursões de tropas militares e bandeirantes, até que Domingos Jorge Velho, um bandeirante paulista, conseguiu subir pela Serra dos Dois Irmãos com sua tropa de seis mil homens e dois canhões de meia tonelada e romper as defesas do mocambo onde Zumbi vivia. O líder morreu em batalha e teve a cabeça decepada, em 20 de novembro de 1695. Mesmo sem sua liderança principal, Palmares ainda resistiu. Alguns mocambos conseguiram sobreviver até 1710 e seu nome ficou marcado até hoje como um grande símbolo.


Zumbi dos Palmares

Humanoide médio

 

Classe de Armadura: 17 (couro batido, escudo)

Pontos de vida: 153 (18d8 + 72)

Deslocamento: 10,5 metros

 

FOR DES CON INT SAB CAR

18 (+4) 16 (+3) 19 (+4) 15 (+2) 15 (+2) 17 (+3)

 

Salvaguardas: For +8, Des +7, Con +8

Perícias: Atletismo +8, Furtividade +7, Intimidação +7, Percepção +6, Persuasão +11, Religião + 6, Sobrevivência +6

Sentidos: Visão no Escuro 18 m, percepção passiva 16

Idiomas: Comum e outros idiomas que sejam necessários no cenário (equivalentes à africanos ou indígenas).

Desafio: 10 (5.900 XP) Bônus de proficiência: +4

 

Bravura. O Zumbi dos Palmares tem vantagem em testes de resistência para não ser amedrontado.


Brutamontes. Um ataque corpo-a-corpo com arma causa um dado extra de dano quando o Zumbi dos Palmares atinge com ele (incluso no ataque).


Cinturão do Poder da Onça. Zumbi dos Palmares recebe as recebe as seguintes características enquanto estiver o usando o cinturão:

  • Se o Zumbi dos Palmares se mover, pelo menos, 6 metros em linha reta em direção de um alvo logo antes de atingi-lo com um ataque corpo-a-corpo, o alvo deve ser bem sucedido numa salvaguarda de Força CD 15 para não cair no chão. Se o alvo cair, Zumbi dos Palmares poderá realizar uma ação bônus para realizar um ataque de pancada com o escudo contra ele.

  • Zumbi dos Palmares tem vantagem em testes de Sabedoria (Percepção) relacionados ao olfato.

  • Zumbi dos Palmares tem vantagem em testes de Destreza (Furtividade) feitos na mata.

  • Zumbi dos Palmares tem visão no escuro 18 m.

Indomável (2/Dia). O Zumbi dos Palmares pode rolar novamentee uma salvaguarda que tenha falhado.


Tornozeleira do Rei dos Palmares. Enquanto estiver usando a Tornozeleira, Zumbi dos Palmares pode conjurar as seguintes magias (salvaguarda CD 15), sem a necessidade de componentes. Seu atributo de conjuração é Carisma:


A vontade: Mensagem, Taumaturgia

2/dia: Destruição Estrondosa

 

Ações:


Ataques Múltiplos. Zumbi dos Palmares realiza três ataques corpo-a-corpo ou dois ataques à distância.


Lança. Arma de Combate Corpo a Corpo: +8 para acertar, alcance 1,5 m e distância 6/18 m, um alvo. Dano: 11 (2d6 + 4) pontos de dano perfurante, ou 13 (2d8 + 4) pontos de dano perfurante se usada com as duas mãos para realizar ataques corpo-a-corpo, ou 7 (1d6 + 4) pontos de dano perfurante quando arremessada.


Pancada com Escudo. Arma de Combate Corpo a Corpo: +7 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 9 (2d4 + 4) pontos de dano contundente.

 

Reações:


Aparar. Zumbi dos Palmares adiciona 3 à sua CA contra um ataque corpo a corpo que poderia atingi-lo. Para tanto, Zumbi deve poder ver o atacante e estar empunhando uma arma corpo-a-corpo.

 

Informações, curiosidades e ganchos p/ RPG:


  • Zumbi era um homem alto, o maior entre seus generais, sua pele brilhava como a lua. Era troncudo e tinha braços músculos, no seu tornozelo esquerdo uma grossa pulseira de ouro, no seu quadril usava pele de onça e tinha um colar feito com seus dentes mostrando que era um caçador. Era mestre no uso de escudo e lança e na arte de batalha corpo–a–corpo. Astuto e engenhoso em estratégias militares e sua voz soava como um trovão na frente da batalha.

  • A estrutura política de Palmares não era centralizada, ainda que houvessem lideranças. Suas várias aldeias compunham relações entre si, como em uma confederação ou república.

  • Palmares era composto por diversos mocambos diferentes, conhecidos por sua pluralidade cultural e religiosa, aceitando desde as religiões tradicionais africanas até o catolicismo, islamismo e religiões sincréticas. Todavia, há registros de que algumas formas de feitiçarias (consideradas malignas) não eram permitidas, embora não existam registros específicos de como seriam.

  • A estrutura do Quilombo dos Palmares se dava em diversas aldeias e não eram centralizadas, o que tornava mais difícil qualquer tentativa de dominação.

  • Zumbi era conhecido por usar, principalmente em batalha, seu cinto de pele de onça e sua tornozeleira de ouro.

  • Entre as principais produções de Palmares estavam feijão, batata, banana, legumes, mandioca, milho, cana-de-açúcar e outros tipos de produtos, como melaço, vinho de palmeira e pindoba, que usavam junto à farinha e com o mesmo fruto fabricavam óleo que usavam para iluminação.

  • Sobre os bandeirantes paulistas que invadiram Palmares, vale ressaltar que a população local de fazendeiros não apreciava sua presença, pois eles saqueavam as fazendas em busca de comida.

  • Palmares chegou a cobrar impostos de vilas e cidades próximas, externas ao Quilombo.

  • Alguns historiadores acreditam que Zumbi seria sobrinho de Ganga Zumba. Uma antiga lenda diz que ele teria sido um rapaz, nascido na escravidão e ensinado a ler e escrever por um padre (inclusive em latim), fugindo depois para Palmares e inclusive criando a capoeira, mas não há nenhum registro real de nada disso.

 

Havia escravidão em Palmares?


Embora exista um movimento que tenta propagar que Zumbi seria um "senhor de escravos", não foi encontrado nenhum documento historiográfico que afirme ter existido escravidão no Quilombo dos Palmares. Essa hipótese é, até o momento, apenas uma suposição infundada.

 

Informações Técnicas:


Nome: Zumbi ou Francisco Zumbi

Nascimento: 1695, Serra da Barriga, Capitania de Pernambuco, Brasil Colonial (atual União dos Palmares, Alagoas, Brasil)

Morte: 20 de novembro de 1695, Serra Dois Irmãos, Capitania de Pernambuco, Brasil colonial (atual Viçosa, Alagoas)

Reinado: 1680 - 1695

Esposa: Dandara dos Palmares



Fontes de pesquisa:


ALBUQUERQUE, Leda Maria. Zumbi dos Palmares. 2 ed. São Paulo: Ibrasa, 1978


GOMES, Flávio. PALMARES : ESCRAVIDÃO E LIBERDADE NO ATLÂNTICO SUL / Flávio Gomes. – 2. ed. – São Paulo : Contexto, 2011. Contexto, 2008.


NICOLETTE, Carlos Eduardo. QUILOMBO DOS PALMARES: A HISTÓRIA NARRADA. Ensino de História: Teoria e Prática. Universidade de São Paulo, USP. 2015.


SANTANA, Karla Cristina Eiterer. POR TRÁS DAS PALIÇADAS DE PALMARES: UMA REESCRITURA DA HISTÓRIA DE ZUMBI POR LEDA MARIA DE ALBUQUERQUE NORONHA. Darandina Revisteletrônica - http://www.ufjf.br/darandina/. Anais do Simpósio Internacional Literatura, Crítica, Cultura VI – Disciplina, Cânone: Continuidades & Rupturas, realizado entre 28 e 31 de maio de 2012 pelo PPG Letras: Estudos Literários, na Faculdade de Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Pesquisa pelo historiador Jonatha Ferreira

Redação pelo jornalista Gabriel Abilio

Ficha pelo Game Designer Daniel Medeiros

112 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo