Corpo Seco (D&D 5ª ed) - Bestiário Tropical pag. 006

Atualizado: 9 de jul. de 2021

(Esse trabalho só foi possível graças aos nossos apoiadores. Apoie você também.)


Um cadáver mumificado, com os músculos duros e os olhos fundos. Nada de seu corpo se decompôs, mas desidratou por completo. Possui unhas compridas e os dentes tortos e afiados. Seu olhar ainda revela alguma coisa do lado mais cruel do ser humano.


Há um antigo ditado que diz que "quem bate na mãe, a mão seca". O ditado é verdadeiro; aquele que bate ou abusa dos pais, principalmente se os fizer passar fome por avareza, será rejeitado pelo céu e pelo inferno quando morrer. Os vermes recusam comer o corpo que, ao invés de apodrecer, seca. Então, o corpo seco vaga pela noite, pelas estradas e ermos próximos de cidades, principalmente por cemitérios. Atormentado por uma fome sem fim, ele se alimenta do sangue de pessoas.


Apesar de não conseguir falar, o corpo seco é uma criatura inteligente e ainda tem pensamentos, memórias e rancores de quando era vivo. Costuma esperar na beira das estradas, para que seja confundido no escuro com uma pessoa comum, ou então espreitar e pular sobre viajantes desprevenidos.


Morto falso. Durante o dia, o corpo seco se esconde em buracos ou cavernas, pois odeia a luz do sol, ma se ele for encontrado, exposto ou se ele acreditar que está em uma situação desvantajosa, o corpo seco é capaz de ficar completamente imóvel, sendo impossível distingui-lo de um

cadáver comum, exceto por meios mágicos.


Rejeitado pelo solo. A terra rejeita o corpo seco e não permite que ele descanse. Se for enterrado, próprio chão irá expulsar o corpo durante a noite. Caso seja enterrado em cripta ou caixão, o corpo seco tem vantagem em testes para quebrar a estrutura, pois o solo estará ajudando a expulsá-lo.


Corpo Seco

Morto-vivo médio, neutro e mau

 

Classe de Armadura: 13 (armadura natural)

Pontos de vida: 39 (6d8 +12)

Deslocamento: 9 m

 

FOR DES CON INT SAB CAR

17 (+3) 12 (+1) 14 (+2) 8 (-1) 10 (0) 7 (-3)

 

Resistências a dano: Necrótico

Vulnerabilidades a dano: Radiante

Imunidade a dano: Venenoso

Imunidade a condições: Envenenado, exaustão

Sentidos: Visão no escuro 18 m, percepção passiva 10

Idiomas: Compreende qualquer língua que conhecia em vida, mas não pode falar.

Desafio: 2 (450 XP)

 

Avidez por Sangue. Depois que o corpo seco causa dano necrótico usando seu ataque de mordida, até o final do seu próximo turno, seu deslocamento aumenta em 3 metros e ele pode fazer um ataque com as garras como ação bônus.


Sensibilidade à Luz Solar. O corpo seco possui desvantagem nas jogadas de ataque e nos testes de Sabedoria (Percepção) relacionados à visão quando ele próprio, o alvo do seu ataque ou qualquer coisa que esteja tentando perceber estiver sob luz solar direta.


 

Ações:


Ataques Múltiplos. O corpo seco faz dois ataques: um com a mordida e outro com as garras.


Garras. Arma de Combate Corpo a Corpo: +5 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 7 (1d8+3) pontos de dano cortante.


Mordida. Arma de Combate Corpo a Corpo: +5 para acertar, alcance 1,5 m, um alvo. Dano: 6 (1d6+3) pontos de dano perfurante, e o alvo deve fazer uma salvaguarda de Constituição (CD 10). Se falhar, sofre 7 (2d6) pontos de dano necrótico e seu máximo de pontos de vida será reduzido em um valor igual ao dano necrótico sofrido.

 

Adapte o Corpo Seco para outros sistemas com nosso Grimório

 

Imagem original: Mari Morgan


Fontes de pesquisa:


ALVES, Januária. Abecedário de Personagens do Folclore Brasileiro. 1ª Edição. São Paulo: FTD: SESC Edições, 2017.


CARNEIRO JR, Renato A. Lendas e Contos Populares no Paraná. Curitiba: Secretaria de Estado da Cultura , 2005.


CASCUDO, Luís da Câmara. Geografia dos Mitos. 1ª ed. São Paulo: Global editora. 2012.


CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. 10ª ed. São Paulo: Ediouro. s/d, ISBN 85-00-80007-0.


FILHO, Lucio R. Na trilha do Corpo Seco. Revista Brasileira de História das Religiões. Maringá (PR) v. V, n.15, jan/2013.


PORTUGUEZ, Anderson P.; WOLF, M. Serra do corpo-seco, Ituiutaba-MG: O lugar, a assombração e o mito popular a partir da geografia das representações. Brazilian Journal of Development. Curitiba, v. 6, n. 1, p.1421-1475. jan. 2020.


RODRIGUES. João Paulo P. Crenças e percepção dos sujeitos: o Corpo Seco da cidade de Cambira (PR). rev História Oral, v. 20, n. 1, p. 149-167, jan./jun. 2017.


#FolcloreBrasileiro #BestiárioTropical #RPG #Geek #DnD #LendasBrasileiras #RPGBrasil #DnD5e #Folclore #CorpoSeco #Mitos

670 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo